Brasil tem em média cinco jornalistas assassinados a cada ano

Brasil tem em média cinco jornalistas assassinados a cada ano

Nosso país é o sexto no ranking dos mais perigosos  para jornalistas, segundo as Nações Unidas. No Brasil, desde 2011 há uma uma média de 5 jornalistas assassinados por ano. Ficamos atrás apenas de países em guerra, como Iraque, Síria, Paquistão, Somália e México,  país onde o narcotráfico está em guerra com a imprensa.

Nos últimos dez anos foram 37 vítimas. A região Nordeste concentra 16 casos de jornalistas assassinados desde 2006. Desses 37 casos, apenas 8 foram resolvidos. Os radialistas foram as maiores vítimas, segundo dados unificados de diversas organizações.

A edição 2017 do Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa está marcada pela banalização dos ataques contra as mídias e o triunfo de políticos autoritários que fazem com que o mundo caia na era da pós-verdade, da propaganda política e da repressão, sobretudo nas democracias.

É um atentado à Liberdade de Expressão e de Imprensa a violência contra jornalistas e comunicadores, a repressão a protestos e manifestações políticas, a censura na publicação, compartilhamento ou acesso à conteúdo na internet. Há ainda tentativas de proibir a publicação de matérias, fotos ou imagens.

Assista aqui nosso pronunciamento durante Sessão Ordinária na Câmara Municipal de Fortaleza desse 7 de junho, Dia Nacional da Liberdade de Imprensa.

Foto: Nações Unidas